SLX, XT e XTR: Comparativo dos grupos de ponta da Shimano

SLX, XT e XTR – Esse post faz parte de uma série de artigos comparando os grupos da Shimano entre si. Se você tem acompanhado o blog Aventrilha, talvez já tenha visto os outros. São eles:

A ideia era já incluir Deore ness post. No entanto, aqui no Brasil, dado aos altíssimos preços de praticamente tudo, é muito comum ver ciclistas praticando mountain bike com kits Altus, Acera e Alivio. Deste modo, quando o biker decide dar um up na magrela, fica em dúvida entre Alivio e Deore. Eu mesmo estive nessa dúvida algumas vezes.

Sendo assim, escreverei esta série de posts sobre os grupos de transmissão da Shimano de outra forma: esse post será só sobre as três linhas de ponta SLX, XT e XTR. Dediquei um um post todo só para discutir sobre a escolha entre Deore, Alivio ou SLX.

“Mas, Fernando! Por que você não incluiu Deore já nesse post?”

Ao contrário do que muitos pensam, há um salto considerável de qualidade entre Deore e SLX. As diferenças são várias desde a corrente até o passador e desse modo o Deore seria um “estranho no ninho” nessa análise.

Ah! Também vale dizer que não tratarei das linhas Zee e Saint aqui – as linhas de Downhill da fabricante.

Começarei este post exatamente como fiz no anterior – sobre Alivio, Acera e Altus- mostrando quais peças da transmissão veremos.

Quais peças da transmissão foram analizadas

O kit abaixo é um Deore XT:

kit-xt-transmissão-3 SLX, XT e XTR: Comparativo dos grupos de ponta da Shimano

As peças acima são:

  1. Corrente;
  2. Câmbio traseiro;
  3. Passadores/mudadores/alavanca de câmbio;
  4. Pedivela;
  5. Movimento central;
  6. Câmbio dianteiro;
  7. Cassete/catraca;
  8. Rotores/discos de freio;*
  9. Pinças;*
  10. Manetes/alavanca de freio;*

Assim como fiz anteriormente, não falarei dos componentes e freio (itens 8*, 9* e 10*). Além disso, vale dizer que os kits aqui apresentados são os mesmos presentes no catálogo da Shimano de 2016. Assim você não fica na dúvida do “de qual ano ele está falando?”.

Outro detalhe importante: São analisados as versões SLX, XT e XTR de 2×11. Não a de 1 nem de 3 coroas, mas a a de 2, ok? Bem, vamos começar: as diferenças entre os grupos SLX, XT e XTR da Shimano peça a peça.

1- Corrente

corrente-diferenças-slx-xt-xtr-e1480447908585 SLX, XT e XTR: Comparativo dos grupos de ponta da Shimano

Quando falamos de Altus, Acera e Alivio, todas as correntes são do mesmo modelo de 9 marchas da Shimano. No entanto, nas linhas de ponta SLX, XT e XTR as correntes são diferentes.

A corrente  SLX é a CN-HG601-11, a XT é a CN-HG701-11 e a XTR é CN-HG901-11. E o que isso quer dizer? Bem, as principais características são:

  • XTR é própria para 11 marchas, vem com a tenologia Shimano SIL-TEC tanto nos links como nos rolamentos e pinos e pesa 247g (quando com 114 links de fábrica).
  • XT também é para 11 marchas, vem com SIL-TEC porém não nos rolamentos e pesa 257g.
  • SLX também para 11 marchas, vem com SIL-TEC porém não nos rolamentos e nos links e pesa tambem 257g.

Observação: foi já nesse momento que resolvi excluir a Deore da análise. Até então era pra ela constar na lista. No entanto, é mais que nítida a diferença entre as linhas de ponta XTR, XT e SLX da corrente Deore. Não só pelo fato de serem razoavelmente mais leves e de serem de 11 marchas, mas também por possuirem a tecnologia SIL-TEC.

E, cara, se você está se perguntando “mas que diabos é esse SIL-TEC” então assista o vídeo abaixo. Você vai se impressionar com a diferença entre uma corrente comum de zinco-niquel e essa SIL-TEC:

Conclusão: XTR superior a todas, XT razoavelmente superior à SLX em questão de material mas igual em questão peso.

2- Câmbio traseiro

cambio-traseiro-diferenças-slx-xt-xtr SLX, XT e XTR: Comparativo dos grupos de ponta da Shimano

As linhas SLX, XT e XTR são grupos de 11 marchas. Sendo assim, com popularização dos cassetes wide range de mais de 40 dentes, todas conseguem trabalhar na faixa de supercog com mais de 40 dentes. Na verdade a Shimano recomenda que as três nem sejam utilizadas com a 11ª coroa com menos de 40 dentes.

Porém aqui começamos a ver que algumas das principais diferenças entre SLX, XT e XTR não está na tecnologia, e sim nos materiais utilizados.

  • XTR possui tecnologia Shadow RD+, possui roldanas seladas,  grande parte do acabamento é anodizado e pesa 224g;
  • XT também possui tecnologia Shadow RD+, possui roldanas seladas, grande parte do acabamento é pintado e pesa 275g;
  • SLX também possui Shadow RD+, não possui roldanas seladas, grande parte do acabamento é pintado, algumas peças são em em aço e não em alumínio e pesa 323g.

Só dos câmbios terem tecnologia Shadow RD+ já fazem deles peças da mais alta qualidade. Mas como estamos falando das linhas de ponta, então as diferenças ficam mesmo nos detalhes.

Conclusão: XTR com seu acabamento e peso de 224g é algo fora de série. XT e SLX realmente só ficam atrás por conta do peso.

Se você quiser entender melhor o que é a tecnologia Shadow RD+ assista o vídeo abaixo:

3- Passadores / mudadores / alavancas de câmbio

passadores-diferenças-slx-xt-xtr SLX, XT e XTR: Comparativo dos grupos de ponta da Shimano

Os passadores da Shimano já a partir da linha Alivio possui a tecnologia Two Way Release. Ou seja, você consegue mudar as marchas só com o polegar, sem precisar “puxar” com o indicador – muito útil para mudar marchas enquanto se freia, por exemplo.

Nas linhas XT e XTR não só está incluida essa tecnologia como também o Instant Release (que você não precisa soltar o dedo do passador para mudar a marcha: acionou, passou!) e Multi Release (que dá para descer duas marchas de uma única vez. Ou seja, fica mais ou menos assim:

  • XTR: Mais uma vez construido com materiais mais leves e acabamento anodizado, tecnologias Two Way Release, Multi Release e Instant Release, consegue subir 4 marchas e descer 2 marchas de uma vez, pesa 100g;
  • XT: Não tem acabamento anodizado, possui tecnologias Two Way Release, Multi Release e Instant Release, consegue subir 4 marchas e descer 2 marchas de uma vez, pesa 127g;
  • SLX: Não tem acabamento anodizado, possui tecnologia Two Way Release porém não possui Multi nem Instant Release, consegue subir 3 marchas e descer 1 marcha por vez, pesa 135g.

Conclusão: diferencial entre XTR e XT aqui é de material e peso já que as tecnologias são idênticas. SLX possui tecnologias inferiores e material mais simples.

4- Pedivela

pedivela-diferenças-slx-xt-xtr SLX, XT e XTR: Comparativo dos grupos de ponta da Shimano

Complicado falar de pedivela sem mencionar movimento central, mas vamos por partes. Já que as três linhas SLX, XT e XTR possuem instalação com movimento central integrado, a diferença aqui fica por conta do material e peso. Simples assim.

  • XTR: Coroa maior de titânio, acabamento anodizado e peso de 631g com coroas 36-26;
  • XT: Coroas de aluminio, peso de 718g com coroas 36-26;
  • SLX: Coroas de aluminio, peso de 761g com coroas 36-26;

Conclusão: é um item que tem diferenças baseadas em peso e material. Na questão custo benefício o SLX leva o troféu, já com foco pura e simplesmente em peso e material XTR larga na frente.

5- Movimento central

movimento-central-diferenças-slx-xt-xtr-e1480454295432 SLX, XT e XTR: Comparativo dos grupos de ponta da Shimano

“Fernando, você esqueceu uma das peças! Só tem duas acima!”

Pois é, isso porque o movimento central vendido no conjunto XT é o mesmo do SLX- o BB-MT800. E mesmo para o XTR as diferenças não são estapafúrdias. Veja:

  • XTR: Acabamento anodizado, espaço para o rolamento mais compacto e peso em 73g;
  • XT e SLX: Não possui anodizaçao e peso é 82g.

Conclusão: A não ser que esteja algo faltando nas especificações de fábrica entre o modelo do XT e SLX do modelo XTR então realmente a diferença entre essas pelas é essa: 9 gramas e material mais resistente.

6- Câmbio dianteiro

cambio-dianteiro-diferenças-slx-xt-xtr-e1480454263247 SLX, XT e XTR: Comparativo dos grupos de ponta da Shimano

Bem, se em pedivelas e movimento central a coisa já andava meio parecida para o lado de SLX, XT e XTR, então aqui fica quase igual. Mesmo com a Sram afirmando que nunca mais vai fabricar um câmbio dianteiro para suas linhas de ponta, a Shimano parece não ter tentado imitar a ideia.

De todo modo as diferenças entre SLX, XT e XTR para câmbios dianteiros Top Swing para 2 coroas ficam assim:

  • XTR e XT virtualmente idênticos, ambos com os mesmos materiais e peso de 133g
  • SLX tem como única diferença um dos links ser em alumínio e não em aço inox como no XTR e XT. Peso? 133g!

OK, para você não achar que estou mentindo, a Shimano especifica que o XTR pesa 132,9g. Ou seja, 0,1 grama mais leve.

Conclusão: Nem tem muito o que concluir. Materiais praticamente idênticos e peso surrealmente semelhantes entre SLX, XT e XTR.

7- Cassete/catraca

cassete-catraca-diferenças-slx-xt-xtr SLX, XT e XTR: Comparativo dos grupos de ponta da Shimano

Os três modelos aqui analisados são os d 11v e com relação 11-40. E mais uma vez a diferença entre os itens é basicamente peso e material:

  • XTR: anodização no acabamento, material em aluminio de carbono e titânio. Peso de 330g;
  • XT: anodização no acabamento, todo em aluminio. Peso de 411g;
  • SLX: anodização em parted oacabamento, material em aluminio e aço. Peso de 450g.

Conclusão: mais uma vez a diferença fica por conta do material e do peso. XTR pesa 25% menos que o SLX e se você é alguém que leva isso em conta, XTR neles! Se prefere o Custo benefício, SLX e XT saem na frente. E se estiver gostando do Post, curta a página do Aventrilha no Facebook:

 

Veredito final: SLX, XT ou XTR?

Se você acompanha o blog Aventrilha, sabe o que eu penso sobre o marketing no Mountain Bike. Deste modo, meu veredito aqui vai de alguém que nunca poderia utilzar a linha XTR (e quem sabe a XT) simplesmente por não pedalar em nível profissional.

Se você leu o artigo deve ter ficado com a sensação de que em alguns momentos deixei claro que o SLX era inferior ao XT e XTR. Mas veja: ele é um grupo MUITO similar ao XT e XTR e muitas vezes perde não pela tecnologia, mas em questão de peso.

Então se você é como eu e nunca vai ver o Mountain Bike com olhos de profissional, eu diria que o SLX com suas tecnologias Shadow RD+, Two Way Release, corrente em SIL-TEC já serão tudo que você gostaria de ter na transmissão da sua bike. Some isso tudo a esses fatos:

  • O movimento central SLX é mesmo que o XT;
  • A diferença no pedivela, cambio dianteiro e cassete é só peso;

E eu diria pra você sem sombra de dúvida que para meu nivel amador eu ficaria com o SLX. Na verdade para cicloturistas e mountain bikers que não fazem single track ele já é até demais.

A vantagem de XT e XTR em relação a SLX é que ambos possuem Multi Release, Instant Release, corrente quase toda em SIL-TEC no lado XT e completamente no lado XTR. As diferenças aqui ficam mesmo por conta do peso e do material utilizado na construção de alguns itens.

Como se vê então as diferenças aqui estão mais fortemente concentradas em corrente e passadores, sendo assim deixo algumas dicas pessoais:

Dicas

Se você chegou nesse post porque está interessado em comprar peças desses grupos mas quer economizar uma grana, dá pra dar uma mesclada de peças SLX com XT, aproveitando as tecnologias multi release, instant release, SIL-TEC com relação custo x benefício otimizada:

  • Pedivela SLX;
  • Cassete SLX;
  • Cambio dianteiro (se houver) SLX;
  • Movimento central SLX;
  • Câmbio traseiro SLX ou XT;
  • Corrente XT;
  • Passadores XT.

ATENÇÃO: Eu não recomendarei a ninguém comprar peças XTR pois sei que a maior parte de quem lê esse artigo nesse instante é ciclista amador e não precisa das tecnologias que vêm com a linha XTR. Além disso, se você é como e também não pode investir milhares e milhares de reais em bicicleta. No entanto, se você for atleta e puder investir, que bom, mande ver e compre seu XTR que é utilizado nas Olimpíadas e seja feliz 🙂

Se você se interessa por esse assunto, certamente você vai gostar destes outros artigos do Aventrilha:

Se inscreva na newsletter do Aventrilha para receber artigos exclusivos de Mountain Bike por email:

  • Edson J. Biancheto

    Gostaria de ver um comparativo da sram com a shimano eu uso o Sram gx e tive muita dificuldade de decidir pq não quase nada de comparativos entre as às marcas

    • Fernando – Aventrilha

      Boa, Edson. Em breve!

  • Fabio Junior Gruchovski

    Boa tarde Fernando. ..Seria bom ter um comparativo das linhas Sram entre si e delas com as linhas da Shimano

    • Fernando – Aventrilha

      Olá Fabio (e Edson).

      Excelente recomendação. Em breve sairá a publicação!

  • Martini Stripes

    Por favor, fale sobre o Deore!! hahahah
    To começando a achar que o Deore é um Alivio caro… :/
    Pior foi ter acabado de comprar uma Bike com Deore, e nem ter perguntando quanto ficaria pular pra SLX. As vezes a diferença na nova valeria a pena.

    • Fernando – Aventrilha

      Hahaha, pode deixar, Martini! Saira ddo forno em breve! Eu agarantcho!

      Quanto ao Deore ser um Alivio caro, eu diria que em partes sim e em partes não. Assim como há muitas igualdades aqui entre SLX, XT e XTR (Câmbio dianteiro, pedivela, movimento central), também há entre Alivio e Deore. Porém há algumas tecnologias presentes no Deore que não se encontra no Alivio.
      No próximo artigo eu explico tudo certinho rsrsrs

      • Martini Stripes

        Mas se tivesse lido esse post antes, acho que teria investido logo no SLX, pq pra trocar agora fica muito pesado. Vou esperar bastante! hahaha

  • Marcus

    Eu iria de grupo XT mesmo, porque a diferença de preço entre os componentes XT e SLX não é tão gritante assim. Tipo, 100-200 reais. Por incrível que pareça, achei um cassete SLX M7000 com o mesmo preço que um cassete XT M8000.

    • Fernando – Aventrilha

      Tem razão, Marcus. Quando a diferença é essa (ou não há nenhuma diferença como no seu caso), vale a pena.

  • Fernando Sá teles

    Ola Fernando, adorei a materia faltou falar sobre os freios!

    • Fernando – Aventrilha

      Olá, Fernando. Reservarei um tópico a parte para tratar de freios. Tornaria este post muito extenso rsrs.
      Abraços!

      • Orlando Eduardo Pereira

        é exatamente no freio tô em duvidas, vejo feedebacks mt positivos desde o deore até o xtr, mas a diferença de preço é mt, não sei se fico SLX ou gasto mais 200 por uma XT.

  • Reginaldo Kengi Shiguedomi

    Para 10V qual seria a corrente para XT, tem a mesma tecnologia que a de 11V?

    • Fernando – Aventrilha

      Olá, Reginaldo.
      A partir do catálogo da Shimano de 2016 a XT não vêm mais com 10v como você pode conferir aqui: http://productinfo.shimano.com/#/lc/1.7/deore_xt_m8000/3×11
      Se você estiver se referindo a alguma corrente XT de anos anteriores então provavelmente a tecnologia não será exatamente a mesma. Mas vale a pesquisa no link que te passei.
      Abraços!

  • RRN

    A linha XTR é realmente muito leve e indicada pra quem é fera no pedal. Por ser um conjunto caro é aplicado em bikes de valores elevados e de perfil voltado pra competidores ou pessoas mais afortunadas que querem ter por ter algo de destaque.
    Para pessoas que utilizam a bike como recreação na cidade ou curtem estradas de terra o SLX já é um luxo! XT e XTR são mais voltados para quem rala mesmo na terra e precisam de um equipamento adequado pois abaixo disso vai quebrar em uso severo.
    Eu diria que se você quer uma bike top pra curtir no fim de semana o SLX já está muito acima do que você realmente precisa.
    Particularmente sou fã do Alivio pelo custo baixo de aquisição, qualidade e manutenção quase zero. Considerando meu perfil ele é o ideal na minha bike, não necessariamente que seja uma bike simples mas você tem que considerar em qual peça vale a pena investir, afinal de que adianta ter uma Ferrari para ir até a padaria comprar pão…

  • dulio2002

    Faltou falar dos freios. Dá uma comentada aí sobre cada um deles.

    • Fernando – Aventrilha

      Em Breve, Dulio 🙂

      • dulio2002

        Qui blz..kkkk. Ficarei no aguardo. Abraço.

  • F.Tavares

    Tenho duas Bikes MTB, uma XTR 22v( Carbon) e uma XT 22v( alumínio)… apesar de usar peças bem mais caras na bike de conjunto superior, a diferença de peso entre elas não chega a 1,3kg. Concluindo i assunto, ando muito mais na bike de alumínio, e já cheguei até preferir levá-la para competir quando pude escolher, mesmo usando pneus com especificações levemente diferentes.

  • F.Tavares

    Se alguém quiser, posso detalhar fatores de desempenho comparando ambos. Valeu galera!

  • Aimed Zaghlul

    tenho um grupo xt de 22 v e o cassete enferruja com exceção do cog de 40. Logo o cassete não é em alumínio com exceção do cog de 40.
    Andei muito em XCO e usava muito o cog de 40 e ele se desgastou muito rapido, minha bike tinha uns 3700 km e ele estava pulando.

  • Rogerio Viana

    Qual a diferença de uso do pedivela SLX m675 e do XT m8000? Tem algum problema usar o SLX m675 para relação 2×11?

  • Eterna Academia

    Show de postagem!!! Boa Fernando!

  • Jerry Metz

    Sou amador, tento andar toda noite e final de semana percurso maior, estradas de pedra e chão. Comprei essa: https://www.cube.eu/2017/hardtail/ltd/cube-ltd-race-2x-blackline-2017/
    Exagerei?

  • Urbino Brito Dos Santos

    Muito boa a matéria eu concordo contigo pra quem é atleta profissional e tem grana pra investir ai sim vale a pena eu uso na Focus Black Forest, pé de vela Deore, corrente Slx, cassete Microshift com 42 e tá de bom tamanho subo as serras do mesmo jeito de alguns usando Eagle e outros top, não vejo razão pra quem como pratica MTB pelo prazer de pedalar e estar com os amigos gastar muita grana.

  • Paolo Cereser Dos Santos

    sobre os cubos o que tem a dizer?